Bate papo sobre moda e influencia digital

Olá pessoal, como estão??

Essa semana tivemos um evento aqui no ateliê terça à tarde, um bate papo super gostoso sobre moda, influência digital e empreendedorismo com influenciadores da região.
A ideia é conectar as pessoas, trocando experiências, vivências e histórias. Os influenciadores participantes foram: Gabi Henemann, Anderson Claro, Caroline Trenz, Maurycia Alves, Jéssica Schwanck, Marcelly Guizzo, Pri Arieli e Eu.

Nesse bate papo discutimos as dificuldades e oportunidades do mercado no ramo de influência digital, tanto para quem oferece esse serviço quanto para as empresas que o contratam.
Debatendo, constatamos várias percepções desse novo mercado, como por exemplo a importância de um feed organizado, conteúdo e segmentação. Nem todos que entram nesse meio tem um foco/objetivo central, uma noção clara do que vai oferecer em suas redes sociais, sites e blogs e percebemos que essa é a maior dificuldade de todos que não segmentam sua carreira. A importância da segmentação do conteúdo compartilhado é essencial… Anderson Claro, hairstylist, trabalha com beleza feminina e afirmou que quando começou, criou seu site e falava de um geral: looks do dia, moda, beleza; porém não focava tanto em seu real trabalho com a beleza, onde dedica a maior parte do tempo do seu dia. Quando percebeu isso e segmentou para beleza suas redes, viu o aumento do seu engajamento com seu público alvo.

Jéssica é maquiadora e sempre teve sua rede focada em maquiagem. Hoje, com canal no youtube, compartilha suas maquiagens e tem um engajamento muito bom com suas seguidoras e clientes, o que torna ainda mais fácil ela como micro influenciadora ter um excelente resultado para com quem ela faz parcerias comerciais.
Gabi e Carol também sempre souberam qual era seu segmento: moda. São apaixonadas pelo que fazem e compartilham com muito profissionalismo e competência. Elas mostram que tem muita gente séria e comprometida nesse meio.

Hoje vemos muita gente querendo entrar nesse mercado como influenciador porque acham que ter muitas curtidas ou seguidores já basta, e não percebem o quão desgastante, intenso e desafiador é esse trabalho. Quando uma empresa quer fazer uma parceria com um micro influenciador ela espera resultado para seu serviço ou produto, cabe ao profissional influenciador fazer a melhor apresentação deste produto, o melhor relacionamento dele para com seu público, gerando um resultado positivo neste trabalho e para a empresa que investiu. Isso requer profissionalismo, competência e tempo.

Abordamos a dificuldade de não trabalhar apenas como influenciador. Ter outro trabalho e ter as redes ativas requer muito trabalho, dedicação, tempo e é exaustivo… Muitas vezes esquecemos de nós mesmos e acabamos não cuidando da nossa imagem, quando na verdade isso influencia em todo o resto, pois quando não estamos bem com nós mesmos ou muito cansados só transferimos isso para o público e não é o que eles querem ver. Eu e Ander quando abrimos nossos negócios, notamos a queda do engajamento, pois estávamos tão focados na obra, papeladas, funcionários, que gerou muita ansiedade e não conseguimos ter tempo e muitas vezes nem vontade de interagir nas redes sociais. No meu caso, por sinal, até minha autoestima baixou, o que me fez recuar ainda mais em relação às redes.

Desafio, dedicação e paixão por determinado assunto é a realidade de quem é e de quem quer ser um influenciador. Saber qual é o seguimento que tu tem mais afinidade e conhecimento é o primeiro passo; De resto, tudo que é feito com amor traz bons resultados! (:
E já estamos ansiosos para o próximo bate papo! Espero que tenham gostado da pincelada que consegui dar dele por aqui.

Até a próxima!
Beijos, Mari.